16 julho 2012

Resenha: Correr ou Morrer


Autor: James Dashner
Trilogia: Maze Runner - livro 1
Editora: V&R
Páginas: 426
Ano: 2010
 Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. (Skoob)

 Correr ou Morrer, escrito por James Dashner, foi o livro que me salvou da grande ressaca literária em que me encontrava. Estava um pouco "cheia" dos romances YA, Amo os livros adolescentes, mas eu precisa de algo novo, diferente para me animar. Encontrei tudo isso em Maze Runner.

 Ao acordar na completa escuridão, Thomas, de aproximadamente 16 anos, percebe que não se lembra de nada (só do próprio nome), e está sozinho em uma estranha caixa metálica em movimento. Quando a caixa enfim para e abre as portas, Thomas se depara com vários adolescentes, todos garotos, e se vê na Clareira, um lugar que parece uma fazenda, mas que é cercado por muros de mais de cem metros de altura, muros com passagens para um imenso e sinistro labirinto.

 Thomas logo percebe que a Clareira é um lugar cheio de mistérios e, através dos clareanos, tenta obter o maior número de respostas possíveis para as perguntas que não saem de sua cabeça: Como vieram parar ali? Quem fez isso com eles?. Os outros garotos também não tem recordações de suas vidas antes da Clareira, mas Thomas descobre que, há mais de dois anos um garoto é enviado, por mês, na caixa. E o labirinto é mais assustador do que parece, durante o dia as portas para ele se abrem, mas se fecham durante a noite para protegerem os clareanos (como se auto intitularam os garotos da Clareira) de monstros terríveis. Os Verdugos.

 O trabalho é divido entre os clareanos. Uns fazem a comida, outros a limpeza, e outros são corredores. Os Corredores são os garotos que se arriscam todos os dias no labirinto, afim de encontrar uma saída. Thomas logo põe na cabeça que quer ser um Corredor, porém as coisas começam a complicar, quando um garoto diz que se lembrava dele, que o viu fazendo maldades junto com as pessoas que os pegaram e os jogaram na Clareira. E para piorar tudo, um dia após Thomas ter chegado, uma menina é mandada pela caixa, Teresa, que tem mensagens que podem mudar o futuro de todos.

 Correr ou Morrer é um livro que me hipnotizou, completamente. Nunca li um livro, narrado em terceira pessoa, que me envolvesse e cativasse tanto como Maze Runner fez. Cheio de mistérios desde a primeira página, Maze Runner me deixou conectada e alerta o tempo todo. Esse livro me viciou completamente, não conseguia ir dormir se não lesse mais um capítulo.

 Com um enredo que literalmente foge das mesmices de tantos outros livros juvenis por aí, Correr ou Morrer é um livro muito inteligente, trabalhado em cada detalhe, que mescla ficção científica com gotas gigantescas de suspense, mistério e um toque sutil de terror. O mistério foi implantado na livro inteiro, mas James foi bonzinho e me deu muitas respostas que eu desesperadamente precisava. Nem de longe todas, mas o bastante para me fazer estar feliz por já ter o segundo livro da trilogia, Prova de Fogo, em mãos.

 O autor vai colocando as cartas na mesa aos poucos, besouros mecânicos observam os clareanos, dá para ver que eles são como pequenos animais sendo testados, estão sendo peças de um jogo bem maior. E sinistro devo acrescentar, eles sofrem demais lá, tudo o que eles tinham fora arrancado deles, até mesmo as coisas mais íntimas, as lembranças.

 O único ponto negativo que achei foi a descrição dos Verdugos, os monstros que apareciam no labirinto durante  a noite. Pensei que seria algo mais assustador, na verdade algumas vezes pode ter até causado impacto, mas ao invés de medo, senti nojo. Mas não foi nada que pudesse estragar esse livro incrível.
A criatura era uma mistura horrível de animal e máquina, e parecia perceber que estava sendo observada, como se soubesse o que havia dentro dos muros da Clareira, como se quisesse entrar e se refestelar de carne humana.
 As personagens são super bem construídos, me faziam sentir na pele os sentimentos deles, mas também me fizeram rir muito com seu vocabulário exclusivo, sério, tinha momentos de muita tensão, que algum personagem soltava isso:
- Fedelho - falou Minho -, se você acha que foi corajoso vindo aqui, escute uma coisa. Você  é o cara de mértila mais mertilento, fedorento e nojento que já existiu. Pode se considerar morto, assim como nós.
 Algumas pessoas comparam a trilogia Maze Runner a outra muito conhecida (e a minha favorita), Jogos Vorazes de Suzanne Collins. Sim, Maze Runner também é uma distopia, mas com enredo bem diferente. Mas se você é fã de Jogos Vorazes, com certeza irá amar Maze Runner.

 Super Recomendo!!! Correr logo e vá adquirir esse livro!
 Ah, e os direitos do livros foram comprados, então agora é esperar para ver Correr ou Morrer nos cinemas!

4 comentários:

  1. Oi, amiga!
    Fico feliz que tenha lido Maze Runner.O livro é fantástico, né?
    Também não achei a descrição dos Verdugos assustadora, é claro que causava tensão sempre que os narravam na história, mas acima de tudo causava asco.
    Você não acho, enquanto lia, que os garotos, às vezes, pareciam adultos? Enquanto lia, me esquecia de que eram todos muito jovens. Não sei se foi a intensão do autor.
    Já tenho o segundo para ler, mas tenho outros na frente. :/
    Que bom que você gostou do livro. Tomara que este filme saia logo, porque até agora não vi nada! :(
    #ansiosa
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Van. Poxa o livro é tão bom que a resenha para ele ficou bem difícil de fazer.
      Espero ter expressado bem o que senti ao lê-lo.
      E sim também, os garotos foram bem "adultos", mas acho que foi o modo que eles foram obrigados a viver, eles tiveram que arrumar um jeito de sobreviver, não é mesmo?
      E se não tivessem feito essa tal "comunidade" com leis próprias, não teriam (talvez) sobrevivido tanto como sobreviveram (palavras de Alby, hahah)
      Também estou super ansiosa pelo filme, mas confesso que tenho medo de ser uma baixa produção, e que coloquem aqueles tenebrosos "defeitos" especiais iguais ao dos Jogos Vorazes.

      Como escrevo, hein!
      Beijo

      Excluir
  2. Ei May, não conhecia o livro, mas fiquei morrendo de curiosidade para ler. Adoro essa coisa de suspense, e esse livro parece ter mistérios do início ao fim, até porque não dá para entender já no início como tudo começa. Gostei, espero ter oportunidade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi May,

    Não tinha ouvido falar desse livro, mas eu realmente fiquei louca para lê-lo com essa sua resenha. Eu adoro livros de suspense, que nos faz ler cada vez mais. Parece ser daqueles que você diz "só vou ler mais um capítulo" e quando vai ver, leu bem mais que isso.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário, assim que possível retribuirei a visita.
Todas as perguntas serão respondidas aqui.
Beijos